Enquete

  01 - Conheço, já peguei minha muda nas ações do projeto;

  02 - Não conheço, mas gostaria de plantar minha árvore;

  03 - Ainda não, mas quero saber o cronograma de plantio e distribuição de mudas.

Fechar
Enquetes anteriores

Institucional

Voltar

Justiça Comunitária e PM se unem em mutirão em VG

 
A Justiça Comunitária e a Polícia Militar realizam neste sábado (5 de setembro), das 8 às 12 horas, na Escola Lício Monteiro, no centro de Várzea Grande, uma “Ação em Comunidade”. Além de atendimento jurídico nas mais diversas áreas, as pessoas receberão orientações sobre segurança pública.
 
Os agentes irão ministrar uma palestra sobre os trabalhos realizados pela Justiça Comunitária. “Além desses esclarecimentos vamos prestar atendimento à população. As nossas maiores demandas são referentes a direito de família, como pagamento de pensão, reconhecimento de paternidade, pedido de divórcio, entre outros assuntos”, explica o coordenador administrativo e jurídico do programa em Várzea Grande, Paulo Dias da Silva.
 
Durante o mutirão as pessoas também podem resolver questões relativas à documentação, já que muitos não possuem RG, CPF, Título de Eleitor, Carteira de Trabalho. “Nós fazemos os encaminhamentos, pois nem sempre as pessoas sabem a quem recorrer para tirar essa documentação”.
 
A Polícia Militar vai aproveitar a oportunidade para falar sobre segurança pública. Serão repassadas dicas importantes, como os cuidados que devem ser tomados ao ir às compras, as precauções em casa para evitar roubos e furtos, seqüestro, falso seqüestre, entre outros delitos.
 
Os policiais vão fazer um apelo também à população para que não passe trotes, porque isso atrapalha o trabalho da Polícia. A comunidade receberá orientações de como proceder para registrar um boletim de ocorrência ou pedir ajuda policial.
 
Em Várzea Grande 19 agentes atendem na Justiça Comunitária, que tem focado também na conciliação e na mediação para resolver os conflitos. Nos 12 postos uma média de 700 procedimentos são encaminhados por mês. “Temos descentralizado bastante o trabalho e feito o atendimento nos bairros, para facilitar o acesso dessas pessoas às informações”, explica Silva.
 
 
Janã Pinheiro
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
(65) 3617-3393/3394
 
 

04/10/2013 16:31